Esporte

Esporte: um potente aliado na motivação dos alunos

Há poucos meses pudemos experimentar o clima olímpico que traz aquela sensação de entusiasmo e faz com que até a mais sedentária das pessoas deseje, ainda que por impulso, praticar alguma modalidade esportiva. Durante algumas semanas, toda a atenção estava voltada para um só assunto: esporte. Quem não se emocionou com a menina Rayssa em cima do skate? Ou com Daniel Dias colecionando ainda mais medalhas na natação paralímpica? Isaquias, Rebeca, Ítalo e tantos outros nomes que ganharam os holofotes mundiais ao trazerem para casa a tão sonhada medalha nos Jogos de Tóquio. Em suas trajetórias, a narrativa se repete: um sonho grande, a dedicação ao esporte, a disciplina e um enorme senso de cooperação.

As Olimpíadas já passaram, bem como o frisson que toma conta de todo o país em momentos como esse. Mas sempre é tempo de refletir e sedimentar aprendizados. Fazendo um paralelo com o esporte, podemos dizer que o percurso escolar não deixa de ser uma maratona cheia de obstáculos. Atualmente, vivemos um momento ainda mais desafiador com a retomada das aulas presenciais. Como recuperar a aprendizagem de milhares de crianças e jovens após tanto tempo de ensino remoto? Como enfrentar a evasão escolar e motivar os alunos a voltarem para a sala de aula? Essas são algumas das perguntas que professores de todo o país se fazem diariamente.

Segundo pesquisa recente do DataFolha, durante o período de ensino remoto, 34% dos alunos perderam o interesse pela escola. O desafio que está posto é despertar no estudante a motivação e a vontade de permanecer na escola. E um dos caminhos que estudamos e entendemos ser um potente aliado tanto para ressignificar o ambiente escolar, como para estreitar vínculos é, justamente, o esporte. De acordo com a pesquisa “Desafios e Perspectivas da Educação: uma visão dos professores durante a pandemia”, realizada pelo Instituto Península em setembro deste ano, 42% dos educadores reconhecem que a Educação Física pode ser uma forte aliada na motivação dos alunos. As evidências mostram que as atividades de educação física são —ao lado das artes—um instrumento de apoio à motivação dos estudantes, inclusive no enfrentamento da evasão escolar.

O que precisa ser feito é apresentar às crianças e aos jovens as diversas possibilidades de saberes que podem ser desenvolvidos e que vão além do movimento do corpo, envolvendo suas capacidades cognitiva, emocional e social.

Alunos do Centro Estadual de Ensino Fundamental e Médio em Tempo Integral Pastor Oliveira de Araújo. Vila Velha/ES

Por muito tempo, as aulas de Educação Física se limitaram em desenvolver apenas as aptidões físicas dos estudantes, buscando aperfeiçoar suas habilidades nos esportes, muitas vezes classificando-os e dividindo-os entre “melhores e piores”. Hoje, o uso do esporte como ferramenta educacional incentiva cada vez mais a prática de novas modalidades, trabalha as competências socioemocionais, estimula a inclusão e fortalece a cultura esportiva na comunidade escolar.

Nessa perspectiva, são muitas as possibilidades de desenvolvimento tanto do ponto de vista da saúde física e mental quanto na promoção da qualidade de vida. De acordo com a mesma pesquisa, 62% dos educadores reconhecem o desenvolvimento de competências socioemocionais por meio das aulas de Educação Física, 65% na melhoria das condições de saúde e 58% no fortalecimento de vínculo dos alunos com a escola.

É evidente que sabemos que a diversidade estrutural das escolas e a ausência de espaços adequados para a prática esportiva impactam na atuação dos professores, o que pode repercutir em desinteresse por parte dos alunos. Para suplantar esses desafios, o investimento em políticas públicas se faz urgente. No paralelo deste processo, há que se transpor os muros da escola, utilizar os espaços públicos como praças e parques, investir na criatividade e aproximar a comunidade da escola de modo que todos se sintam pertencentes e comprometidos com a aprendizagem dos alunos.

É urgente aumentar o engajamento e o interesse dos estudantes pela escola e isso só vai acontecer se eles estiverem motivados. A motivação é elemento essencial para despertar no jovem a vontade de aprender e de permanecer na escola, e a Educação Física pode ser esse elo de conexão entre eles.

Heloisa Morel, diretora executiva do Instituto Península.

João Paulo Diniz, membro do conselho do Instituto Península

Fonte: Pesquisa Datafolha “Onde e como estão as crianças e adolescentes enquanto as escolas estão fechadas?”, encomendada pela Fundação Lemann e Instituto Natura, 2021.

Jal Mehta; Sarah Fine. In Search of Deeper Learning: The Quest to Remake the American High School, 2019.

Posts relacionados
Educação

“Um olhar para os professores”

Educação

Instituto Península e Movimento Profissão Docente lançam livro com 80 artigos sobre professores

Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support