Educação

Pesquisa do Instituto Península aponta: 60% dos professores acreditam que os alunos não evoluíram no aprendizado em 2020

IP vem acompanhando os sentimentos de educadores durante toda a crise da Covid-19, que se mostram preocupados com o aumento da desigualdade entre os alunos

O Instituto Península acompanha desde o início da pandemia da Covid-19 a situação dos professores em todo o Brasil e,  após três fases da pesquisa “Sentimento e percepção dos professores brasileiros nos diferentes estágios do Coronavírus no Brasil”, verificou que os professores se adaptaram ao ensino remoto e passaram a valorizar a importância da tecnologia no processo de aprendizagem. Porém, a tecnologia que aproxima pode também afastar. Na véspera de 2021, o IP levantou, na 4ª etapa da pesquisa, que os professores se mostram preocupados com dois pontos: 60% acreditam que os alunos não estão evoluindo no aprendizado e 91% acham que haverá um aumento da desigualdade educacional entre os alunos mais pobres.

Realizada entre 16 e 26 de novembro, com 2.961 professores em uma mostra representativa de todo o Brasil, a nova fase da pesquisa ainda traz que, segundo os docentes, apenas 28% dos alunos estão motivados a fazer as atividades escolares em casa.

Após quase 10 meses de isolamento, 72% dos professores seguem dando aulas de forma remota. A pesquisa mostra também que 54% dos docentes acreditam que o futuro da educação deve ser o o ensino presencial e 44% acreditam que será o formato híbrido. Os outros 2% apostam que o modelo online permanecerá

“O aumento da desigualdade educacional é realmente preocupante. Para recuperarmos a aprendizagem dos alunos e caminharmos para um modelo híbrido de ensino, é preciso não só incentivarmos a criação de políticas públicas a favor da inclusão digital como um direito de todos os estudantes, mas também avançarmos nas ferramentas e metodologias que conectem e fortaleçam o desenvolvimento do professor e a aprendizagem dos alunos com a sala de aula, seja presencial ou remota”, explica Heloisa Morel, diretora-executiva do Instituto Península.

Outros dados relevantes da pesquisa são:

  • Em comparação com a fase anterior, os professores estão se sentimento menos ansiosos (de 64% para 58% dos entrevistados) e mais cansados (46% para 53%).
  • Mesmo com todos os desafios de 2020, 61% dos professores se sentem motivados para 2021.

O IP vem acompanhando a realidade e a visão de futuro de educadores durante a pandemia do Coronavírus – essa é a quarta etapa da pesquisa. A primeira ocorreu logo no início da quarenta e a segunda, em abril e maio.

Acesse aqui a pesquisa completa.

Posts relacionados
EducaçãoPesquisas

Educação à Flor da Pele

Pesquisas

Saúde mental de professores e alunos é o principal desafio na volta às aulas presenciais

Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support